Lusominas quer fazer prospecção de ouro na Ribeira da Fraga

sábado 24 julho 2059 46704 ações

Lusominas quer fazer prospecção de ouro na Ribeira da Fraga

O requerimento da atribuição de direitos de prospecção e pesquisa de minerais já foi publicado em Diário da República e está em consulta pública

A freguesia do Sobral em Mortágua onde há vestígios de grandes escavações que se supõe terem sido feitas pelos romanos na extracção de ouro, são apenas um dos vários locais que a Lusominas, Lda. pretende explorar.

Os historiadores acreditam que os romanos terão explorado ouro perto de um ribeiro identificado pelos habitantes como rio da Fraga, cujas águas desaguam no rio Mondego. A Lusominas, Lda., pretende realizar prospecções numa área próxima dos 17 quilómetros quadrados.

O presidente da Lusominas, espera que os trabalhos de prospecção se venham a revelar promissores e que "apareça uma verdadeiro filão de ouro", em quantidade "suficiente que permita a exploração industrial". "Quanto mais riqueza melhor para o desenvolvimento do concelho e da região", comenta, apesar de ressalvar que o processo ainda se encontra numa fase inicial.

O pedido de requerimento da atribuição de direitos de prospecção e pesquisa de depósitos minerais foi publicado, na terça-feira passada, em Diário da República, encontrando-se em consulta pública.

Para além do município de Mortágua, a Lusominas requereu ainda a atribuição de direitos de prospecção e pesquisa dos mesmos minerais nos concelhos de Tábua e Santa Comba Dão, também no distrito de Viseu. Aí, a área total do pedido atinge os 95 quilómetros quadrados.

Ainda o mês passado, a empresa canadiana Avrupa Minerals, anunciou, a descoberta de uma quantidade "significativa" de ouro em trabalhos de prospecção na freguesia de Covas, em Vila Nova de Cerveira. Os trabalhos, licenciados pelo Ministério da Economia, tiveram início em 2009, para a prospecção de tungsténio, mas acabaram por detectar vestígios de ouro, o que veio confirmar as histórias que os mais velhos contavam na freguesia sobre a existência de ouro nas águas do rio Coura.

Segundo a empresa canadiana responsável pelas prospecções, das 44 amostras recolhidas numa área de 900 por 100 metros, nos montes de Covas, próximo da serra de Arga, 43 acusavam a presença de ouro e o melhor resultado chegava a um valor de 10,2 gramas de metal precioso por tonelada.

loading Biewty
loading Biewty 3